sexta-feira, junho 02, 2006

'TRAM-TRAIN' só em 2008/09 e sem WC



O 'FLEXITY Swift' , assim se chama o veículo da empresa canadiana Bombardier, comprado pela Empresa do Metro do Porto (EMP), só começarão a chegar em finais de 2008, princípio de 2009.




De características mais próximas do comboio, na verdade é um veículo com características intermédias entre o eléctrico e o comboio; este veículo tem mais lugares sentados (+20), o que confere mais conforto às viagens e mais rápida aceleração/desaceleração, além de uma velocidade de ponta ligeiramente mais rápido 100km/h contra apenas 80km/h do veículo que circula actualmente.

Na verdade, é uma viatura com características mistas, de características urbanas nas extremidades, com mais lugares de pé, e de características suburbanas no centro, com mais lugares sentados.

Tem também, o que saudamos vivamente, espaço para bicicletas.

Espera a EMP reduzir alguma coisa o tempo de percurso das viagens. Nós achamos que talvez isso seja possível nas viagens semi-directas entre a Póvoa e a S.ª da Hora, já que aí o veículo poderá fazer valer a sua maior velocidade de ponta, pois que entre a S.ª da Hora e o Porto, seguirá sempre entre dois veículos lentos; Já nas viagens normais, julgamos ser difícil atingir esse objectivo, dado o elevado e sempre crescente número de novas paragens.




Quanto ao mobiliário, pouco se sabe, esperemos que as cadeiras não sejam como as que equipam os veículos de Colónia, embora sejam mais ergonómicos que os actuais.


Lamentamos profundamente a inexistência de Casa de Banho, tanto mais que este apenas ocupa 4 lugares sentados, numa composição de duas viaturas.

Também não vimos qualquer referência a prateleiras para pequenos volumes.

A descrição do veículo está no sítio da EMP.


notícias do veículo na impensa portuguesa:



Galeria de fotografias do 'FLEXITY Swift' :

ALEMANHA
Colónia-1
Colónia-2

TURQUIA
Istambul-1
Istambul-2

USA
Minneapolis-1
Minneapolis-2
Minneapolis-3
Minneapolis-4
Minneapolis-5
Minneapolis-6
Minneapolis-7

INGLATERRA
Londres


6 comentários:

Pedro disse...

Que ideia essa de um WC num metro... ainda bem que não vai ter!!!! Deveria ter nalgumas estações, no entanto. Agora no metro, não!

Quanto aos assentos o facto de serem ergonomicos é bom. Mas realmente uma viagem Porto-Póvoa de metro é cansativa, ainda ontem cheguei a casa todo estourado, por causa do calor, do tempo, etc.

Quanto ao aspecto, acho que deveriam ser como os metros actuais, são mais bonitos, até o interior parece mais confortável. Espero é que tenha mais acentos virados para a frente, é desconfortável viajar de costas. Para um grupo de quatro pessoas é excelente, claro. mas acho que essas pessoas não são a maioria.

Comissão de Utentes da Linha da Póvoa disse...

De facto o Pedro tem razão, é uma bizarria as casas de banho no Metro.

Também é bizarro chamar Metro a tudo o que parece bonito que circule em carris.

Designa-se Metro ao tipo de exploração dos transportes e não ao facto de circular em carris, ser a tracção eléctrica ou a motor de combustão, ou ainda a circular à superfície ou enterrado.

Metro designa a exploração baseada em frequências elevadas, paragem em todas as estações e distâncias curtas entre paragens, ou seja, um transporte adequado para zonas densamente povoadas, onde garantidamente entram e saem em todas as paragens elevado número de utentes.

Não é o que acontece na linha da Póvoa, que atravessa zonas rurais, e paragens onde o número de utentes é muito reduzido, ou em alguns casos e períodos, é mesmo nulo.

A exploração tem de se adaptar à procura, e assim justifica-se dois tipos de exploração. Uma Típica de Metro (já que tanto querem ter um) que para em todas as paragens, e outra do tipo expresso, que para apenas naquelas com mais afluência/procura.

A esmagadora maioria de utentes usa a linha entre paragens de maior distância entre elas, e assim e só por isso, faz sentido a casa de banho.

Claro que faz ainda mais sentido se não existirem casas de banho nas paragens.


E a solução é tão simples, basta colocar casas de banho automáticas nas paragens, como aquelas que existem junto ao estádio do Varzim no passeio em frente, junto à praia e ao parque infantil.

Quanto à comodidade dos assentos, o Presidente da Comissão Executiva afirmou à CULP que isso poderia resolver, e que iria ter em conta na contratação dos ?TRAM-TRAIN'.

Esperamos para ver...

P disse...

Viajo muito por toda a Europa e uso bastante sistemas sobre carris e posso assegurar que todos os sistemas suburbanos (como é o "metro" Porto-Povoa) têm casa de banho. Dou como exemplo vários s-bahn alemães. Imagine o Pedro se além de estourado pela viagem, pelo calor, etc, também tinha de suportar a "vontade" de ir à casa de banho durante quase uma hora... a viagem seria muito pior, não?

Anónimo disse...

Olhando para a fotografia do interior do veículo, fico com a impressão de que dois dos principais defeitos dos actuais - ausência de estores para o sol e cadeiras incómodas, sem encostos de cabeça, ficam na mesma! Gostava de saber se o ar condicionado é tão agressivo como nos actuais. Já experimentaram ir sentados junto à janela, a apanhar o sol de chapa e o vendaval de ar gelado directamente sobre a cabeça? Deve ser o paraíso de qualquer otorrinolaringologista!
Quanto aos tempos de percurso, não acredito em melhorias significativas. De que adianta uma velocidade de ponta um pouco superior se os veículos são obrigados a abrandar para 40km/h em todas as estações?
Parece-me bem que a verdadeira razão para a introdução destes veículos é serem mais robustos e adequados para linhas suburbanas. Ou seja, com menos custos de manutenção mas sem melhorias para os clientes...

Alberto Ferrão disse...

Boa tarde,
Não entendo o porquê desta polémica relativamente aos WC’s nos veículos do metro do Porto, pois já temos em Portugal e aqui bem perto o serviço de Urbanos da CP-Porto que tem carruagens sem WC e que fazem viagens bem mais longas que Porto-Póvua e Porto-Trofa, também quando fazemos uma viagem entre Porto e Lisboa de expresso esses autocarros não têm WC’s e as pessoas aguentam mais de 2 horas.
Tem mais lógica existir WC’s nas estações, pois aí fazem mais falta do que nas carruagens.

Miguel disse...

Meus amigos relativamente ao interior não se preocupem, e bem agradavél identico aos urbanos do porto.

E relativamente as casas de banho, tanta preocupaçao porque? quem viaja de carro caga aonde?