terça-feira, maio 23, 2006

Saga de um utente da linha da Póvoa

O relato que abaixo se reproduz, é a experiência de um só utente do Metro da linha da Póvoa, que teve a amabilidade de nos enviar. Coincide também com outros relatos e a nossa própria experiência, podendo acrescentar muitos outros casos e situações, embora semelhantes.

A Empresa do Metro, reconhece a existência de um grande número de avarias nas viaturas e no sitema de comunicações com elevada frequência, mas não informa os utentes que tiram os títulos e os passes; com isso prejudica todos os dias os utentes nas suas vidas pessoais e profissionais. Nenhuma referência no sítio da empresa, nenhuma explicação, nenhum pedido de desculpas.

Tão grande frequência de avarias nos veículos não são de aceitar num veículo com tão pouco tempo de vida útil, e tecnologicamente avançado.

Sempre queremos ver como ficarão os indicadores de desempenho da Metro depois destes episódios, em especial o da velocidade comercial da linha 'B'. É uma boa ocasião para testar a fiabilidade do sistema de medição deste índice (*).

A Empresa do Metro reconhece também a diminuta frota de viaturas ao serviço para todas as linhas, o que é impeditivo de melhorar o serviço, designadamente na linha da Póvoa.
Soubemos que durantes os testes antes da entrada em funcionamento da linha, a viatura de tipo urbano que circula na linha da Póvoa, quando fazia a viagem 'expresso', as rodas aqueciam acima do aceitável e as protecções da viatura paravam-na. Estará a acontecer de novo esse problema?


Estas avarias dão-nos razão quando afirmamos a necessidade de uma viatura mais robusta, mais próximo do comboio, com capacidade de fazer viagens longas e com elevada velocidade, o 'tram-train'.

Quer a Empresa do Metro, quer o seu administrador e Presidente da Câmara de Vila do Conde, Eng.º Mário de Almeida nos disseram nas últimas reuniões que com eles tivemos, que já tinha sido adjudicada as viaturas que reclamamos. O Ministro desmentindo-os, disse apenas que estava em estudo a sua compra.

Passaram-se já quase dois meses e não há notícia da sua compra. Pode ser que com estas avarias, se decidam de vez....

Segue o relato:

  • 22.Mai (Linha B - Paragem do Lidador)
Uma vez mais, o metro que que vem da Póvoa com destino ao Estádio do Dragão e deveria passar no Lidador às 8:29, passou às 8:43, ou seja 14 MINUTOS DE ATRASO; Para não terminar a viagem sem outro motivo de reclamação, eis que entre a Casa da Música e o Estádio do Dragão, o metro fez a viagem SEM LUZ..., não havia ILIMINAÇÃO nas carruagens e relembro que este trajecto é feito em Túnel... Lamentavel, de facto.

  • 19.Mai (Linha B - Paragem do Lidador)
Uma vez mais, o metro que que vem da Póvoa com destino ao Estádio do Dragão e deveria passar no Lidador às 8:29, passou às 8:35, ou seja 6 MINUTOS DE ATRASO ; Seria esta uma situação normal, não tivesse acontecido nada de anormal no resto da viagem. A verdade é uns minutos depois antes da paragem de Esposade o metro para bruscamente e fica imobilizado cerca de 3 minutos, por motivo de "pequena avaria", disse o maquinista. Após, reinício da viagem, apenas uns minutos depois volta acontecer o mesmo e mais uma imobilização de 3 minutos. Após o arranque, a composição chega até a Francos e mais uma nova paragem de cerca de 3 ou 4 minutos pois aparentemente haveria uma nova avaria nas portas uma vez que todas elas abriam e fechavam consecutivamente sem haver maneira de pararem. Em suma, mais uma viagem atribulada em que com todos estes atrasos resultou num atraso total de cerca de 12 minutos. Recordo que uma viagem que deveria sair do Lidador às 8:29 e deveria chegar à Trindade às 8:59 (30 minutos), acabou por ter a sua chegada à Trindade apenas às 9:16 .

  • 18.Mai (Linha B - Paragem da Trindande)
Ao contrário do que sempre aconteceu desde que a Linha B (Póvoa) está em funcionamento, em que o metro que circula nesta linha tem sempre 2 composições (carruagens), ontem lamentavelmente a Transdev decidiu apenas enviar uma composição no horário das 18:10, pelo que em hora de ponta, numa linha que normalmente já está totalmente congestionada, significou que cerca de metade das pessoas que estavam na Trindade (e paragens seguintes) em direcção à Póvoa (ou paragens anteriores) tivessem ficado de fora do metro, pois não era possivel entrar mais gente. Como que se tal não fosse suficiente, na Casa da Música, o metro esteve parado cerca de 5 minutos, sem qualquer explicação. Posteriormente, uma das portas avariou numa estação seguinte, ficando a porta encravada e assim aumentando o rol de avarias que estão a acontecer ultimamente.

  • (Linha B - Paragem do Lidador)
O metro (Serviço Normal) com origem da Póvoa com destino ao Estádio do Dragão, deveria passar no Lidador às 8:29, mas passou às 8:43 ou seja 14 MINUTOS DE ATRASO; Uma vez mais, no horário das 8:29 em que deveria passar um metro de serviço Normal, passou um do serviço Expresso e que naturalmente não abrangendo aquela paragem significou uma vez mais todas as pessoa que lá estavam ficaram incrédulas com o que acontecia;

  • 17.Mai (Paragem da Lapa)
Por volta das 8:57, na linha em sentido a Matosinhos, estava uma vez mais uma composição do metro avariada na linha, já com todos os passageiros fora da mesma e já com uma composição em direcção à Maia igualmente parada e obviamente com atrasos. Começa a ser preocupante o nr. de avarias num sistema ainda tão recente;

  • (Linha B – Sentido Póvoa)
No horário do metro das 19:09, entrei mo metro na Trindade e ao chegar à paragem da Lapa (precisamente na paragem onde até 4 fiscais do Metro entraram e puderam constatar), começou a "chover" em cima dos passageiros, uma vez que toda a água do ar-condicionado começou a cair em fios (não em gotas). Uma vez mais, isto não são falhas normais num sistema moderno.

  • 16.Mai (Linha B - Paragem da Trindande)
Estava na estação da Trindade para apanhar o Metro (serviço Normal) que ia em direcção à Povoa de Varzim e que tem o horário das 19:30. Por incrível que pareça, este metro passou às 19:50, ou seja 20 MINUTOS DE ATRASO, o que equivale a dizer que houve um metro que não passou já que a frequência é de 20 em 20 minutos. A Metro do Porto achou por bem que não havia necessidade de enviar esta composição do metro, já que em vez de cumprir o tempo máximo de espera de 20 minutos o metro demorou 40 minutos;

  • 11.Mai (Linha B - Paragem da Trindande)
Em plena estação da Trindade, estava à espera para apanhar o Metro que tem o horário das 19:30 (Serviço Normal) que ia em direcção à Povoa de Varzim. Por incrível que pareça, no painel electrónico havia a indicação de que o Metro que se estava a chegar era da linha B-Póvoa (Serviço Expresso). Lamentavelmente, tal não era verdade e o metro era do Serviço Normal, pelo que muitas pessoas não perceberam se podiam ou não entrar na composição, devido a não saberem ao certo de se era Expresso ou não, e portanto não arriscaram entrar no metro pois se fosse mesmo Expresso não iria parar nas estações onde pretendiam sair.

  • 09.Mai (Linha B - Paragem do Lidador)
O metro que vinha da Póvoa com destino ao Estádio do Dragão, deveria passar no Lidador às 8:29, mas passou às 8:40 ou seja 11 MINUTOS DE ATRASO; No horário das 8:29 em que deveria passar um metro de serviço Normal, passou um do serviço Expresso que não abrange aquela paragem e portanto todas as pessoa que lá estavam ficaram incrédulas com o que acontecia;

  • 08.Mai (Linha B - Paragem do Lidador)
O metro que vinha da Póvoa com destino ao Estádio do Dragão, deveria passar no Lidador às 8:29, mas passou às 8:45, ou seja 16 MINUTOS DE ATRASO ;
Constantemente no horário das 8:29 no Lidador, acontece do mesmo não ser cumprido e o metro passar com 5/6 minutos de atraso;
Constantemente o sistema electrónico informa "TEMPO DE ESPERA: 20 MINUTOS", sendo que esta informação é totalmente irrelevante uma vez que toda a gente sabe que esse é o tempo máximo de espera, logo o sistema tem obrigatoriamente de dar um tempo de espera aproximado, só assim faz sentido.


-------------
(*)
Gostaríamos de ver os indicadores individualizados por linha, como acontece com a velocidade comercial, de outra forma as linhas com melhor desempenho encobrem o pior desempenho das restantes e isso é uma forma de esconder os problemas aos seus utentes.
Gostaríamos também que fossem criados outros indicadores mais fiáveis do desempenho da rede e de cada uma das linhas, como é o caso do indicador do cumprimento de frequências e de horários.

3 comentários:

Pedro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Pedro disse...

convém alertar a CULP para a abertura da linha do Aeroporto. A estação verdes deverá ser paragem do expresso (o que parece lógico para os interesses daa Pòvoa/Vila do Conde/Porto), mas s entrada dessa paragem no serviço expresso, deverá vir com a extinção da paragem em Pedras Rubras. Caso contrário abre-se aqui uma situação grave, Pedras Rubras é que fica com o expresso, a Póvoa tem uma paragem, Vila do Conde tb uma e uma terra, que nem freguesia é, terá duas quando não devia ter nenhuma visto estar a meio do caminho.

Atenção a esta questão. Pois o expresso já compensa muito pouco.

Pedro

j.pinto disse...

a passagem do texto seguinte "(Linha B – Sentido Póvoa)

– No horário do metro das 19:09, entrei mo metro na Trindade e ao chegar à paragem da Lapa (precisamente na paragem onde até 4 fiscais do Metro entraram e puderam constatar), começou a "chover" em cima dos passageiros, uma vez que toda a água do ar-condicionado começou a cair em fios (não em gotas). Uma vez mais, isto não são falhas normais num sistema moderno." faz-me ocorrer que finalmente a sugestão feita em http://essenciadoporto.blogs.sapo.pt/5098.html foi seguida pelo metro. Os homens devem estar a gozar com os utentes.